Primeiros socorros para cães: O que você precisa saber? Aprenda e salve vidas

Primeiros socorros para cães: O que você precisa saber? Aprenda e salve vidas

O atendimento de emergência e os primeiro socorros para animais de estimação nunca devem ser usados como substitutos da visita a um veterinário, porém, eles podem salvar a vida de seu querido amigo, se realizados corretamente antes que ele possa ser levado para receber o atendimento especializado.

Mas você já se perguntou o que pode fazer caso o seu bicho de estimação tenha uma emergência em um momento em que você talvez não possa ir ao veterinário?

Descubra algumas condutas importantes que você precisa saber sobre os primeiros socorros para cães:

Fratura

Atropelamento, mordida por outro cachorro ou uma queda. Deve carregá-lo com cuidado na posição horizontal, se possível, para evitar agravamento da lesão, principalmente em se tratando da coluna vertebral.

Verifique se a boca está obstruída por sangue, saliva ou outra substância e se o cachorro está respirando sem dificuldade. Se uma ferida estiver sangrando muito, pressione-a com um dedo ou um pano, a fim de estancar o fluxo e formar um coágulo.

Se uma pata estiver quebrada e o osso estiver exposto para fora da pele, evite tocá-lo e cubra-o com um pano limpo para minimizar a chance de infecção. Feitos os primeiros socorros, leve-o imediatamente ao veterinário.

Envenenamento ou intoxicação

Filhotes e cachorros mais jovens costumam comer tudo que vêem de diferente. No caso de envenenamento, não lhe dê leite nem outro líquido. Não coloque seus dedos na garganta do cachorro para fazê-lo vomitar.

Você precisa levá-lo o quanto antes ao veterinário. Em caso de convulsões, não tente segurar a língua do cachorro, pois você pode levar uma mordida.

Tenha em mente que nem todas as substâncias causam intoxicação imediata. Algumas provocam sinais apenas horas mais tarde, como por exemplo raticidas.

Lembre-se sempre de levar ao veterinário a caixa ou embalagem da substância responsável pela intoxicação.

Isso provavelmente irá auxiliar o doutor na escolha do tratamento adequado, salvando a vida do seu cachorro.

Convulsões

Caso seu cão comece a fazer movimentos espasmódicos, normalmente acompanhados de travamento da mandíbula, salivação, urinação e defecação, então ele está tendo uma convulsão.

A primeira coisa a fazer é tirar a coleira e afastá-lo de qualquer perigo (ex.: lareiras, escadas, mesas).

Garanta que ele possa respirar segurando sua cabeça e, se possível, com o pescoço esticado. Não coloque os dedos dentro da boca do cão.

Mantenha o ambiente o mais escuro e quieto possível, evite barulhos repentinos como campainhas e portas batendo.

A maior parte dos ataques acabam rápido (embora pareçam durar uma eternidade!)

Anote exatamente os sintomas de seu cão antes, durante e depois da convulsão, e ligue para o veterinário assim que possível.

Se ele nunca apresentou esses sintomas, após a convulsão cessar, leve-o imediatamente ao veterinário.

Engasgar

Se o seu cão está tentando vomitar sem conseguir, coçando a boca freneticamente com as patas ou fazendo barulhos estranhos como se estivesse engasgado, tente abrir sua boca verificar se existe algum objeto obstruindo sua boca ou garganta.

Esteja ciente de que há chance de ser mordido fazendo isso.

Olhe o céu da boca, pois às vezes algo gruda lá, ou um osso pode ficar preso transversalmente.

Caso verifique que existe um objeto e não consegue tirar, não force, pois o objeto poderá ficar mais preso, fazendo com que o seu cão sufoque.

Leve-o imediatamente ao veterinário mais próximo.

Em alguns casos, pode ser necessário uma anestesia geral para a remoção segura de um objeto na boca.

Corte na pata

Pode ocorrer um sangramento repentino devido a um caco de vidro ou outro objeto pontiagudo.

Se houver muito sangramento, enrole a pata em gaze ou em um pano limpo e faça pressão com esparadrapo.

Leve seu cão ao veterinário para que receba tratamento apropriado.
Nunca use elástico ou torniquete nos membros, especialmente por períodos prolongados (acima de 15 minutos).

Picadas de inseto e cobra

Picadas de insetos podem ser identificadas por dor aguda repentina acompanhada de inchaço e às vezes descoloração da pele.

Se um cão foi picado na garganta, pode ter dificuldade para respirar. Ele pode ser alérgico e nesse caso você deve leva-lo imediatamente ao veterinário!

Mantenha seu cão fresco e evite qualquer exercício.

Se ele for picado por uma cobra, você deve tentar identificar a cobra (caso seja possível, pois os soros antiofídicos variam por espécies) pois será mais fácil tratá-lo se o veterinário souber qual foi a cobra.

Coloque uma bandagem em volta da picada e leve-o imediatamente ao veterinário!

Aqui no Estação Pet você encontra uma farmácia completa, assessórios, alimentos e profissionais capacitados para lhe orientar.

Faça-nos uma visita ou ligue pra gente (44) 3025-5500!

Recomendados pra Você

Deixe um comentário